Notícias

Publicado em 10/06/2018

Governo reforça ações de saúde aos municípios e logística reversa de medicamentos


Governo reforça ações de saúde aos municípios e logística reversa de medicamentos

Os 399 municípios paranaenses recebem um reforço para combater doenças transmitidas por insetos, a exemplo da dengue e febre amarela, criar campanhas de vacinação e outras ações de vigilância sanitária, vigilância ambiental, saúde do trabalhador, laboratórios de saúde pública, além de compra de veículos para transporte sanitário, capacitação de profissionais e ações de promoção da saúde. Nesta quarta-feira (6), a governadora Cida Borghetti confirmou a liberação de R$ 35 milhões para as prefeituras, dentro do programa Fortalecimento e Qualificação da Vigilância em Saúde (Vigiasus), da Secretaria de Estado da Saúde.

Também foram liberados R$ 15,5 milhões para 17 municípios que recebem turistas ou estão em áreas de fronteira, dentro do programa Saúde do Viajante. O total soma R$ 50 milhões.

Cida afirmou que o Governo do Estado tem compromisso com a saúde pública, uma das áreas mais sensíveis e que mais precisa de apoio. “Cabe a nós, gestores públicos, dar ferramentas e garantir os recursos necessários para que os municípios e seus profissionais possam exercer suas funções e oferecer uma saúde de qualidade aos paranaenses”, disse ela.

“O Paraná é o único estado brasileiro a ter um incentivo estadual para a vigilância em saúde com este volume de recursos”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Antônio Nardi. Ele lembrou que a atuação dos municípios com estas ações previnem doenças e ampliam o atendimento à população. “No caso de combate à dengue, por exemplo, todas as áreas governamentais, e também não governamentais, têm um compromisso com essa luta e estão participando do controle da dengue e outras arboviroses”, disse ele.

Desde 2013, o Governo do Estado já destinou por meio do programa Vigiasus R$ 197,8 milhões aos 399 municípios do Estado. Em cinco anos, foram adquiridos 579 veículos, 6.570 equipamentos e oferecidas quase 10,5 mil horas de capacitação profissional pela Escola de Saúde Pública do Paraná.

Saúde do viajante
 
Pelo programa Saúde do Viajante, os recursos vão para 17 municípios que recebem grande fluxo de turistas ou estão em regiões de fronteira. O dinheiro é para custeio de serviços de saúde e aquisição de equipamentos. “São avanços importantes que promovem uma resposta mais rápida às demandas da população”, disse a governadora.

Paranaguá, no Litoral do Estado, está entre os municípios que receberam estes recursos. “São R$ 2,4 milhões, essenciais para garantirmos um melhor atendimento às pessoas que vêm de fora. Afinal, é uma cidade turística e, além disso, passam por Paranaguá, todos os dias, 5 mil caminhoneiros, em direção ao Porto de Paranaguá”, disse o prefeito Marcelo Roque. Ele lembrou que na alta temporada a Ilha do Mel também recebe cerca de 5 mil visitantes todos os dias.

Desde 2015, ano em que o programa foi criado, o Governo do Estado já repassou R$ 39 milhões às prefeituras para ampliarem as medidas de atenção e saúde e campanhas de conscientização para os turistas. A ideia é evitar que o viajante contraia uma doença durante o percurso e a leve para um novo território.

Comitê
 
No mesmo evento, a governadora também assinou um decreto que institui o Comitê Interinstitucional para Controle da Dengue e outras Arboviroses no Estado do Paraná, formado por órgãos do Governo do Estado e representantes empresariais e entidades que atuam na área da saúde. “O objetivo do comitê é implementar ações de mobilização para intensificação do combate aos vetores das arboviroses, em especial o mosquito Aedes aegypti”, lembrou o secretário Antonio Carlos Nardi.

Paraná cria programa de logística reversa de medicamentos
 
Além disso, a Governadora Cida Borghetti lançou o Programa Estadual de Logística Reversa de Medicamentos. O Paraná é pioneiro neste modelo de destinação de medicamentos que engloba a atuação dos setores farmacêutico, da indústria e do governo.
 
“Essa é uma tendência mundial e o Paraná inova mais uma vez com ações efetivas, dando bons exemplos. Isso mostra que estamos na vanguarda, no caminho certo para a modernização dos serviços públicos e melhor atendimento da população”, afirmou a governadora. Com a adoção do programa, a Secretaria de Estado da Saúde assinou com o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos de São Paulo (Sindusfarma) e Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Paraná (Sindifarma) carta de intenções para a realização de campanhas anuais de destinação correta de medicamentos e instalação de pontos de coleta. É a primeira ação do programa.
 
O Secretário da Saúde, Dr. Antônio Carlos Nardi, disse que já foi realizado um grande trabalho para o uso racional dos medicamentos e que, agora, o governo incentiva o descarte correto. “Trata-se de uma iniciativa pioneira de extrema importância, que está ligada à saúde da população de uma maneira geral. Com esse programa será possível descartar e dar o tratamento correto aos medicamentos que não são mais utilizados pela população”, disse.
 
Essa fase do Programa de Logística Reversa de Medicamentos contempla duas campanhas anuais de destinação de medicamentos recepcionados em 250 pontos de coleta/recebimento com 30 dias de duração cada. A primeira terá início na segunda quinzena de agosto. O Governo do Estado por meio das Secretarias da Saúde e do Meio Ambiente será responsável por orientar, acompanhar, fiscalizar e divulgar o programa no Estado. A recepção, preparação, armazenagem temporária e gerenciamento dos contentores, contendo os medicamentos descartados, o transporte, a destinação final ambientalmente adequada ficará a cargo dos setores farmacêuticos e industrial.
 
Presenças
 
Dra. Mirian Ramos Fiorentin, Presidente do CRF-PR, participou do evento e assinou como testemunha o documento que comprova o comprometimento do governo com as campanhas do Projeto Estadual de Logística Reversa de Medicamentos. Também participaram da solenidade, representando o CRF-PR: Dra. Nádia Maria Celuppi Ribeiro - Diretora Secretária-Geral e Dr. Mônica Grochocki - Conselheira.