Notícias

Publicado em 08/10/2018

CRF-PR participou do I Encontro Intermunicipal de Vigilância em Saúde de Pinhais


CRF-PR participou do I Encontro Intermunicipal de Vigilância em Saúde de Pinhais

De 2 a 4 de outubro aconteceu o I Encontro Intermunicipal de Vigilância em Saúde, evento realizado pela Secretaria Municipal de Saúde de Pinhais, que este ano abordou o tema "Aedes aegypti e seus desafios".

Durante os três dias o encontro contou com mais de 400 inscritos para debaterem sobre estratégias de combate e controle ao mosquito transmissor da dengue – o Aedes aegypti. Foram realizadas mesas redondas e ministradas diversas palestras como, Vigilância em saúde: a importância dos cinco pilares (vigilância ambiental, vigilância epidemiológica, vigilância sanitária, saúde do trabalhador e promoção à saúde); Controle do Aedes aegypti: mitos e verdades; Aspectos Bioecológicos de Aedes (Stegomyia) aegypti: conhecer para impactar as ações de vigilância entomológica e controle vetorial; Dinâmica da resistência a inseticidas e os efeitos biológicos no mosquito Aedes aegypti.

A farmacêutica, Karin Juliana Bitencourt Zaros, do Centro de Informação sobre Medicamentos, participou do evento e ressaltou que com a proximidade do verão aumentam as preocupações com a dengue, que é uma estação com fatores climáticos favoráveis à proliferação do mosquito Aedes aegypti, o vetor responsável pela transmissão da doença. Além da dengue, este mosquito pode transmitir outras doenças, como infecção por zika vírus, chikungunya e febre amarela.

Dra. Karin ainda destacou que a dengue é a doença viral que mais se espalha no mundo. “O vírus da dengue causa doença febril aguda. Na maioria dos casos, os sintomas são leves e autolimitados, entretanto uma pequena parcela dos infectados evolui para doença grave”, relatou. “Caso o paciente chegue na farmácia com sintomas clássicos da dengue, que incluem febre com duração máxima de sete dias, cefaleia, dor retrorbitária (atrás dos olhos), exantema (manchas e erupções avermelhadas na pele semelhantes ao sarampo), prostração, mialgia, artralgia, náuseas e vômitos, perda do paladar e apetite, o farmacêutico deverá instruí-lo a procurar uma unidade de saúde”, continuou.

Ela relatou que não há tratamento específico para dengue, a assistência é feita para aliviar os sintomas, além de hidratação. E o cuidado com o consumo de medicamentos deve ser redobrado, tendo em vista que muitos são contraindicados, como ácido acetilsalicílico (AAS) e anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), pelo risco da piora de eventos hemorrágicos.
“É importante a conscientização, principalmente da população, de que as medidas de cuidado para combater os vetores, como não juntar utensílios que possam acumular água, evitar o acúmulo de lixo, manter a água da piscina sempre tratada e limpa, entre outras, devem ser tomadas o ano todo e não somente nos períodos mais quentes”, relatou a farmacêutica do CIM/CRF-PR que enalteceu a relevância da discussão durante o evento.

O encontro ainda contou com apresentações musicais, teatrais e de dança por meio da parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer de Pinhais.

 


Fonte: Assessoria de Comunicação / CRF-PR