Notícia: Vacinas contra Covid-19 podem causar alterações genéticas?

Publicado em 04/01/2022

Vacinas contra Covid-19 podem causar alterações genéticas?


 Vacinas contra Covid-19 podem causar alterações genéticas?

Muitas notícias falsas estão circulando nas mídias sociais a respeito das vacinas contra Covid-19. Uma delas é a de que as que contêm RNA podem alterar o DNA humano ou até mesmo causar câncer.

Essas informações são boatos infundados que podem ter efeitos negativos para a contenção da doença, pois podem deixar as pessoas vulneráveis à desinformação.

 

Como funcionam as vacinas que contêm RNAm

Elas usam o código genético do vírus da Covid-19 para produzir, de forma sintética, o chamado RNA mensageiro (RNAm), formulado em partículas lipídicas que permitem a entrega do RNA nas células hospedeiras (de quem recebe a vacina).

No RNAm estão as instruções para que as células produzam determinadas proteínas, neste caso, a proteína S (Spike), encontrada na superfície do SARS-CoV-2. Nosso sistema imunológico reconhece essa proteína como “estranha” e, caso ocorra uma exposição real ao vírus, anticorpos que combatem a Covid-19 são produzidos.

Essa técnica, na qual apenas um pedaço de material genético é usado ao invés de todo o vírus, nunca havia sido aplicada anteriormente.

 

Vacina de RNAm X medicamentos com material genético

Um comunicado da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi publicado no dia 07/01/2022 por conta de informações falsas sobre as vacinas contra Covid-19 serem consideradas produtos de terapia genética.

O documento esclarece que as vacinas que empregam em sua tecnologia o RNAm não são produtos de terapia gênica, definidos como medicamentos que contêm material genético, manipulados em laboratório, para tratamento de doenças genéticas ou relacionadas, como cânceres ou doenças neurológicas e musculares. Além disso, eles possuem requisitos regulatórios definidos pela Anvisa diferentes dos das vacinas.

 

O RNAm da vacina não penetra o núcleo das células

A vacina de RNAm simula o processo que ocorre no corpo de uma pessoa que realmente contraiu a doença, mas de uma maneira que não possibilita a infecção de quem está sendo vacinado, apenas educando o organismo sobre como responder àquele invasor.

As células de quem recebe a vacina produzem a proteína característica do vírus e induzem uma resposta imunológica sem interagir ou interferir com os genes humanos. Ainda, o RNAm nunca entra no núcleo da célula onde nosso material genético (DNA) está localizado, além de ser uma molécula transitória que é rapidamente degradada nas células após produzir as proteínas imunizantes.

Portanto, vacinas que contêm RNA não alteram ou interagem com o DNA humano de forma alguma.

 

Referências:                                     

  1. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Anvisa esclarece: vacinas contra Covid-19 não são produtos de terapia gênica. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2022/anvisa-esclarece-vacinas-contra-covid-19-nao-sao-produtos-de-terapia-genica>. Acesso em 10 jan. 2022.
  2. UNITED STATES OF AMERICA. Centers for Disease Control and Prevention. Myths and facts about Covid-19 vaccines. Disponível em: <https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/vaccines/facts.html>. Acesso em 10 jan. 2022.
  3. UNITED STATES OF AMERICA. Centers for Disease Control and Prevention. Understanding mRNA Covid-19 vaccines. Disponível em: <https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/vaccines/different-vaccines/mRNA.html>. Acesso em 10 jan. 2022.
  4. IBM MICROMEDEX. Drugdex. Greenwood Village: IBM Watson Health. Disponível em: <http://www.micromedexsolutions.com>. Acesso em 10 jan. 2022.
  5. LABORATÓRIOS PFIZER. Covid19 – Principais perguntas & respostas sobre vacina pfizer e biontech. Disponível em: <https://www.pfizer.com.br/sua-saude/covid-19-coronavirus/covid-19-principais-perguntas-respostas-sobre-vacina-pfizer-e-biontech>. Acesso em 10 jan. 2022.
  6. LABORATÓRIOS PFIZER. Vacina de RNA mensageiro. Disponível em: <https://www.pfizer.com.br/noticias/ultimas-noticias%20/vacina-de-rna-mensageiro>. Acesso em 10 jan. 2022.

 

 


Fonte: CIM/CRF-PR

topo