Free cookie consent management tool by TermsFeed

Utilize o teclado para navegar, com Ctrl + nº da tecla

  Menu   Conteúdo   Busca   Lei Geral de Proteção de Dados   Acessibilidade
  Fonte Maior   Fonte Maior   Fonte Padrão
  Cor Original   Contraste
Notícias

Como validar receitas com assinatura eletrônica


Fonte:
Data de publicação: 15 de maio de 2023

1.png

>> Publicado em 12 de nov. de 2021

>> Informações atualizadas em 09/05/2023 

 

De acordo com a Lei 14063/2020, receitas em meio eletrônico, ressalvados os atos internos no ambiente hospitalar, somente serão válidas se contiverem a assinatura eletrônica avançada ou qualificada do profissional e atenderem aos requisitos de ato da Anvisa ou do Ministro de Estado da Saúde, conforme as respectivas competências.

Já no caso de medicamentos sujeitos a controle especial, é obrigatória a utilização de assinatura eletrônica qualificada.

No Paraná, a operacionalização da prescrição por meio eletrônico é regulamentada pela Resolução SESA-PR 508/2022.

 

Definições (Lei 14063/2020):

I – assinatura eletrônica simples:

a) a que permite identificar o seu signatário;

b) a que anexa ou associa dados a outros dados em formato eletrônico do signatário;

II – assinatura eletrônica avançada: a que utiliza certificados não emitidos pela ICP-Brasil ou outro meio de comprovação da autoria e da integridade de documentos em forma eletrônica, desde que admitido pelas partes como válido ou aceito pela pessoa a quem for oposto o documento, com as seguintes características:

a) está associada ao signatário de maneira unívoca;

b) utiliza dados para a criação de assinatura eletrônica cujo signatário pode, com elevado nível de confiança, operar sob o seu controle exclusivo;

c) está relacionada aos dados a ela associados de tal modo que qualquer modificação posterior é detectável;

III – assinatura eletrônica qualificada: a que utiliza certificado digital, nos termos do § 1º do art. 10 da Medida Provisória nº 2.200-2, de 24 de agosto de 2001.

– Os 3 (três) tipos de assinatura referidos nos incisos I, II e III do caput deste artigo caracterizam o nível de confiança sobre a identidade e a manifestação de vontade de seu titular, e a assinatura eletrônica qualificada é a que possui nível mais elevado de confiabilidade a partir de suas normas, de seus padrões e de seus procedimentos específicos.

 

As receitas com assinatura eletrônica estão autorizadas somente para:

  • Medicamentos sujeitos a receita comum;
  • Antimicrobianos sujeitos a controle pela Resolução RDC 471/2021;
  • Medicamentos controlados pela Portaria 344/1998 sujeitos a Receita de Controle Especial em duas vias;
  • Receitas com assinatura eletrônica não são válidas para medicamentos sujeitos a Notificação de Receita A, B ou Especial.

 

Como qualquer outra, a receita com assinatura eletrônica deve conter todos os itens obrigatórios pela legislação. A Lei 5.991/1973 estabelece os principais requisitos:

 

Somente será aviada a receita que:

  • Estiver escrita em vernáculo (idioma oficial), sem abreviações e de modo legível, observados a nomenclatura e o sistema de pesos e medidas oficiais;
  • Contiver o nome e o endereço residencial do paciente;
  • Contiver expressamente, o modo de usar a medicação;
  • Contiver a data e a assinatura do profissional, endereço do consultório ou residência, e o número de inscrição no respectivo Conselho profissional.
  • Os receituários contendo medicamentos sujeitos a controle especial devem respeitar as normas específicas (Portaria 344 e outras).

 

No caso de medicamentos sujeitos a controle especial, a orientação da Anvisa é que a receita eletrônica seja copiada e mantida no computador local e também que seja impressa para realizar as anotações necessárias.

De acordo com a Resolução SESA-PR 508/2022, a dispensação de medicamentos sujeitos a controle especial deve ocorrer somente uma vez a cada receita, sendo vedada a sua reutilização ou a aquisição fracionada.

 

Veja a seguir as formas de validar receitas com assinatura eletrônica.

 

1 – Receitas emitidas pela plataforma do Conselho Federal de Medicina

A plataforma Prescrição Eletrônica do Conselho Federal de Medicina utiliza assinaturas certificadas pelo ICP-Brasil.

O farmacêutico deve se cadastrar no sistema no endereço: https://prescricao.cfm.org.br/login

A dispensação deve ser informada pelo farmacêutico no campo indicado na plataforma.

Acesse aqui as orientações para a dispensação pelo sistema: https://prescricaoeletronica.cfm.org.br/perguntas-frequentes/#x

 

2 – Receitas com assinatura digital certificada pelo ICP-Brasil emitidas por outras plataformas

O Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI) disponibiliza em seu site o Validar – Serviço de validação de assinaturas eletrônicas. Nele podem ser validadas quaisquer receitas com assinatura certificada pelo ICP-Brasil, incluindo aquelas emitidas pela plataforma do Conselho Federal de Odontologia (https://prescricaoeletronica.cfo.org.br)

Para validar uma receita, siga as orientações abaixo:

Passo 1. A receita será emitida em uma das formas abaixo. O farmacêutico deve analisá-la quanto a aspectos técnicos e legislação.

  • Receita impressa contendo Código QR (QR Code);
  • Documento em PDF ou outro formato compatível;
  • Endereço de Internet (URL).

Passo 2. Acesse o Validar em: https://validar.iti.gov.br

Passo 3. Escolha uma das formas de validação:

  • Receita impressa com Código QR: escolha a opção “Ler QR Code”, autorize o uso da câmera, aponte o código para a câmera e aguarde até que o leitor feche – o que significa que a leitura foi feita de modo correto. Caso necessário, insira o código de acesso no espaço indicado e finalize clicando em validar.
  • Documento em PDF ou outro formato compatível: clique na opção “Escolher arquivo”. Uma nova janela será aberta e será possível selecionar a pasta de arquivos onde o documento está. Selecione o arquivo e clique no botão “Abrir”.
  • Endereço de Internet (URL): selecione a opção “Colar URL” e insira o endereço.

Passo 4. Leia os termos de uso e selecione “Estou de acordo com os termos de uso do serviço”. Clique no botão “Validar” e espere até que seja feita a análise. Em seguida, deverá aparecer uma confirmação de que o documento foi enviado.

Observação: O envio e a validação de arquivos grandes podem ser mais demorados.

Passo 5. O resultado da validação poderá ser aprovado, reprovado ou indeterminado. Ao final da página do resultado, aparece o “Relatório de Conformidade”, que pode ser salvo no botão “Download PDF”.

Observação: Verifique no resultado da validação o tipo de assinatura utilizado. Para a prescrição de medicamentos sujeitos a controle especial é obrigatória a utilização de assinatura eletrônica qualificada.

Para mais informações, acesse: https://validar.iti.gov.br/informacoes.html

 

3 – Prescrição eletrônica emitida pela Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba

 

Quando medicamentos prescritos no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba forem dispensados em farmácias particulares o farmacêutico deve validar a receita e registrar a dispensação.

 

Passo 1. A receita poderá ser recebida impressa ou em arquivo PDF. Fazer a leitura do Código QR ou acessar https://prescricaoeletronica.curitiba.pr.gov.br

Passo 2. Informar o ID da receita (código que aparece na parte inferior, após o endereço eletrônico https://prescricaoeletronica.curitiba.pr.gov.br/) e o CPF do paciente.

Passo 3. Conferir a receita na opção “Visualizar receita”.

Passo 4. No item “Prescrição”, verificar a quantidade prescrita e observar se já houve atendimento anterior. Caso não tenha sido dispensado, informar a quantidade que está sendo fornecida no campo “A dispensar”.

Passo 5. No item “Estabelecimento”, preencher os dados do dispensador. Caso seja necessário, preencher o campo “Anotações”.

Passo 6. Clicar em “Enviar” para finalizar o processo.

 


sync
IRT

Ingresso de Responsabilidade Técnica.

upload_file
Baixa de Responsabilidade Técnica

Baixa de Responsabilidade Técnica

save
Resposta ao Termo de Intimação

Resposta ao Termo de Intimação

folder
Registro

Registro

info
Defesa de Auto de Infração

Defesa de Auto de Infração

history
Alteração de Horário

Alteração de Horário




Redes Sociais

topo